Your browser version is outdated. We recommend that you update your browser to the latest version.

 

Perguntas Frequentes

 

Como funciona o Laser Alexandrite?

O laser alexandrite emite uma luz intensa monocromática (de cor avermelhada) com comprimento de onda de 755nm tendo como alvo a melanina do pêlo (pigmento que dá cor ao pêlo). Ao ser absorvida pela melanina, essa energia percorre o pêlo até atingir a raíz, coagulando os vasos capilares (queimando a raíz por efeito térmico). Desta forma as células germinativas do folículo piloso deixam de ser irrigadas, tendo como consequência a não formação do pêlo. Só os pêlos que estejam em fase de crescimento (fase anágena) são destruídos, daí serem necessárias várias sessões.

 

Porquê escolher o Laser Alexandrite?

O Laser Alexandrite é a tecnologia mais avançada e eficiente em depilação e como tal é a mais utilizada nas clínicas de depilação especializadas. Existem estudos que comprovam que os resultados com esta tecnologia são os melhores comparados com outros tipos de equipamento.

Antes de decidir deve informar-se como funciona a tecnologia, de que tipo é e quais as suas características. Existem muitos equipamentos de depilação no mercado e por vezes não é fácil tomar uma decisão informada. O preço não deve ser o único critério, até porque existem equipamentos baratos e de qualidade questionável. Como consumidor deve assegurar-se que sabe o que está efetivamente a comprar.

O equipamento que temos ao seu dispor tem um valor de mercado elevado e é reconhecidamente de alta qualidade comparando com outros lasers e isso naturalmente reflete-se no preço final dos tratamentos (mesmo assim competitivos e justos atendendo às áreas e zonas corporais). Porém, o investimento compensa largamente porque os resultados são visíveis desde a 1ª sessão e o número de sessões é comparativamente menor.

 

Quais os benefícios do laser alexandrite?

O laser alexandrite é aconselhado na remoção do pêlo, foliculites (pêlo encravado), hirsutismo, hipertricose e como bónus regenera a própria pele, assim como, ajuda na melhoria de peles com acne e psoríase.

 

Qual o tipo de pêlo indicado para depilação a Laser Alexandrite?

Os melhores resultados são alcançados em pêlo de pigmentação mais escura e pêlo espesso. Isso não significa que o pêlo mais fino e mais claro não seja removido. Nesses casos também é removido e existe uma grande taxa de sucesso no tratamento desde que efetivamente haja contraste entre o pêlo e a pele. Por conseguinte, o pêlo muito loiro, branco ou ruivo não é indicado.

 

Quais os fotótipos da pele?

O fotótipo define a cor da pele e respetiva reação à exposição solar. Assim, existem diferentes tipos de pele que vão desde a pele branca até à negra, passando por peles morenas (tipo I, II, III, IV, V).

A avaliação da pele torna-se deveras importante para que os resultados sejam os mais eficazes e eficientes. O laser alexandrite é parametrizado de acordo com os fotótipos da pele.

 

Necessito de ter o pêlo comprido antes do tratamento?

Para uma primeira avaliação mais precisa, o pêlo deve estar no exterior da pele, ou seja, desta forma é aconselhável não extrair o pêlo pela raíz pelo menos 2 semanas antes da primeira sessão. Posteriormente, no decorrer dos tratamentos poderá rapar a zona a tratar, mediante o aconselhamento da técnica.

 

Qual o número de sessões de tratamento necessárias?

A estimativa é de 5 a 7 sessões sendo que logo desde a primeira os resultados são notórios. Porém, o número de sessões poderá ser variável mediante algumas características existentes, nomeadamente a idade, sexo, tipo de pêlo, fotótipo da pele, zona a depilar e questões hormonais, entre outras.

 

Existem efeitos secundários?

Os efeitos secundários que possam existir são todos eles transitórios, nomeadamente hiperpigmentação e hipopigmentação. No entanto, é sempre necessário cumprir todas as medidas aconselhadas de segurança para evitar quaisquer efeitos secundários. De referir, que os tratamentos com base em tecnologia laser são utilizados com segurança há muitos anos e em vários procedimentos, nomeadamente na área da estética.

 

É doloroso?

Na generalidade não é doloroso. O sistema de refrigeração é bastante eficaz e seguro minimizando o desconforto.

 

Posso apanhar sol?

Sim, desde que nos informe da última exposição solar para que possamos avaliar convenientemente o estado da sua pele. Nos casos em que faça uma exposição solar intensa só deve fazer tratamento a laser 2 semanas depois.

 

Tenho uma pele muito sensível e reativa, posso fazer laser alexandrite?

Sim, as peles com estas características podem fazer o tratamento, basta seguir os cuidados necessários aconselhados.

 

Porquê escolher a oferta da clínica Tutto Pêlo?

A clínica Tutto Pêlo tem ao seu dispor os melhores profissionais da área, com experiência e formação adequadas, assim como, a mais avançada e a mais segura tecnologia. Somos especialistas em depilação a laser. Se tem dúvidas em iniciar o seu tratamento venha falar connosco, dispomos de uma consulta de esclarecimento gratuita e sem compromisso. De referir que, também dispomos de supervisão médica gratuita.

 

Qual a diferença entre laser alexandrite, laser díodo e luz pulsada?

- O laser alexandrite emite uma luz monocromática, coerente, intensa e em linha reta, na qual todos o fotões viajam na mesma direção. O seu comprimento de onda é de 755nm (específico da cor da melanina), não havendo dispersão de energia. Desta forma a absorção da energia através da melanina do pêlo é de 100%, danificando com mais eficácia a raiz do mesmo.

- O laser díodo tem um comprimento de onda diferente (800-810nm) o que faz com que a absorção da luz pela melanina não seja tão eficaz, diminuindo a consequente eficácia na destruição do pêlo. Tal facto, traduz-se num maior número de sessões, logo tempo e dinheiro.

 - A luz pulsada emite uma luz mista (policromática) espalhando-se em várias direções. Significa que a energia utilizada dispersa-se por vários comprimentos de onda, entre os quais o da melanina. Esta dispersão leva a que a energia disponível para a destruição da raíz seja bastante inferior, tornando-se dessa forma ineficaz na remoção do pêlo.

fototermólise seletiva